terça-feira, agosto 05, 2008

Medronhos


Lembro-me de quando era miúda e vivia na aldeia haver uma época do ano, creio que no fim do verão, em que eu e os meus irmãos percorríamos os pinhais à procura de pinhas para armazenarmos para o Inverno, e deparamos com uns estranhos arbustos carregados de pequenas bolas, umas de cor amarela, outras em tom alaranjado, com casca coberta de pequenos picos, parecendo miniaturas daquilo a que chamam "castanhas do diabo".

- São medronhos! Disse-nos um dia a nossa mãe quando a questionámos, descrevendo-lhe a nossa descoberta. Se até ali nos tínhamos mantido afastados por pensarmos tratar-se de plantas venenosas, a partir de então tentámos mastigar algumas daquelas bolinhas e bem me lembro como foi decepcionante verificar que eram ásperas e intragáveis!

Um dos meus irmãos chegou a usar uma pedra e partir algumas na esperança de encontrar no seu interior um delicioso fruto.

Muitos anos depois cheguei a passar férias perto da Serra de Monchique, cuja dona da casa possuía se dedicava à apanha de medronho com os quais fazia a famosa "aguardente de medronho", chegando a oferecer-nos uma garrafa.

Recentemente voltei a encontrar estes arbustos aqui perto de casa onde moro, exactamente no monte onde costumo ir passear com a minha Nikita. Mas como são raros e só amadurecem em Dezembro, é difícil encontrá-los maduros.

Tenho um amigo que costuma passear na Tapada de Mafra, onde parece existir este arbusto, que me prometeu apanhar alguns, a fim de experimentar uma famosa receita de "licor de medronho".

11 comentários:

Laura disse...

Menina; vai por mim que sei o que digo... O meu cunhado Augusto um dia ofereceu-me uma garrafa dele com eles lá dentro e ah que bom, mas não me parecem assim como a foto mostra..são azuis escuros e parecem azeitonas mas de tonalidade diferente..não te enganaste? ora vamos perguntar!...acredita que auqilo é bom, bom demais e aqui em casa mal durou...eu ia lá mais que o manel...beijinho

O Profeta disse...

Ai quem me dera agitar o tempo
Atirar a mágoa à voragem da noite
Arrancar as raízes ao pensamento
Sentir a paz que uma lagoa acolhe


Boa férias


Mágico beijo

Pascoalita disse...

Não, Laura! Não me enganei. Encontrei estes na net e são exactamente iguais aos que guardo na memória.

Não estarás tu enganada? Calhar o que te deram foi uma garrafa com ginjas que embora ao colher sejam vermelhas, adquirem tom vermelho escuro azulado ao fim de algum tempo em álcool ou então eram mirtilos, umas bagas azuis (estas não sei que utilidade têm)

jinhos

Palhacito disse...

Isso come-se? Parecem bolinhas de perlimpimpim ahahahahah

Laura disse...

nánánináná (aprendi com a tété e adoro estes náninánás...
o que comi até tinha escrito licor d emedronhos, são escuros e nada de ter essa forma...mas vou saber disso, olha que podes tar a comer veneneo moça, calma ai ehhhhhhh...mas com gente ruim o veneno nem faz efeito...
Vai lá ter com os padrinhos e hás-de dizer-me como vai ele do coraçãozinho dele, digo da parte doente ehhhhhhhh...ji a ti.

Pascoalita disse...

Mas eu ainda nem os provei! Só tenho a promessa do "baixinho" de que este ano não passa sem me arranjar alguns para a tal receita de licor ahahah

Mas duvido que encontres outros. Sabes quem nos podia elucidar? Aquele nno entendido em botânica do "espaço do joão" ahahah

Cusquinha endiabrada disse...

Ó madinha laurinha,

Será que os teus medronhos são do FCP e os da pascoalita são do Benfica? Com tanta diferença assim, só pode ahahahah

daniel disse...

Pascoalita

Medronhos, acabam por, de certa maneira por me eternecer, pelas várias "petit" histórias referentes, que podia contar.
Frefiro dizer, que o fruto é uma das coisas, que leva sempre o pensamento à imensidão e solidão da Serra de Monchique, onde parei várias vezes, para apanhar e acto contìnuo, deglutir o fruto, quando maduro.
A pedra devia ter sido com o medronho verde.
Daniel

Zé do Cão disse...

Já que cá estou, digo das minhas.

Medronhos, sim senhor a Pascoalita tem toda a razão. Nas quintas dos meus pais, haviam muitos, muitos, e serviam para fazer aguardente.
Gosto encantador para o meu gosto.
Há!.. Já passava. Quando maduros e comidos, também dá uma boa bebedeira.
Sobre os da Laura, talvez, talvez também a razão esteja do lado de Pascoelita.

Anónimo disse...

Pascoalita, acredite que isso são mesmo medronhos. Fartei-me de comer medronhos na minha infância, são o meu fruto predilecto, não há nada comparado com isso (maduros, porque verdes são intragáveis). Quem não conhece os medronhos não sabe do que está a falar. Ainda hoje sinto o sabor típico no gosto. A minha mãe deixava-nos comer o que quisessemos mas não podíamos beber água. O medronho tem alergia à água. É uma bebedeira sem tamanho.

Pascoalita disse...

São sim! Agora sei que são. Quando em miúda os descobri por acaso no meio duma mata próximo da quinta do meu avô é que constituiram um mistério.

Obrigada Zé do Cão ... Obrigada anónimo :))