quarta-feira, agosto 20, 2008

Malditas maçãs!!!


Nasci e vivi até aos 14 anos numa aldeia da Beira Interior, fiz de tudo um pouco e assisti a várias cenas que ainda hoje me fazem rir.

A casa dos meus pais ficava um pouco afastada do aglomerado de habitações e estava inserida numa pequena quinta com declives. Ao fundo da horta passava uma estrada, em terra batida, usada pelos habitantes da aldeia que ali passavam com os animais a caminho das roças. Uma parede com mais de 2 metros de altura separava a nossa propriedade do caminho, ao longo da qual o meu avô plantara uma fila de videiras que cresciam enleadas em arame, deixando pender enormes cachos que despertavam a cobiça de quem passava.


Ali não passavam carros, sendo o acesso feito a pé, a cavalo, ou em carroça puxadas a burros. Durante o verão, carregava-se às costas ou à cabeça tudo o que era necessário para o Inverno: Lenha, sacas de pinhas, molhos de mato (giestas e fectos), fardos de palha, etc..

Eu e os meus irmãos costumávamos deitar-nos à sombra das videiras e ali ficávamos a observar quem passava. Foi nessa posição que um dia assisti a uma cena insólita que na altura muito deu que rir e falar.


Ao cimo do caminho, avistei 2 mulheres, carregando cada uma delas um enorme molho à cabeça que quase lhes tapava por completo o rosto. A cena era habitual, mas naquele dia deslocavam-se de modo estranho. Não entendia se riam, se choravam, se gemiam, mas pareciam caminhar aflitas como se algo as perturbasse. Parecia quererem livrar-se do fardo, caminhando, de pernas ligeiramente afastadas e andar desengonçado.

À medida que iam avançando, nesse preparo, em minha direcção, a minha curiosidade aumentava, pelo que resolvi manter-me escondida.

Já perto de mim, como a parede da propriedade em frente era mais baixa, a que vinha à frente largou bruscamente sobre ela o molho que trazia e a que vinha atrás imitou-a e ali mesmo, entre gritos, gemidos e palavrões à mistura, ouviu-se o típico barulho de 2 intestinos a esvaziar, sem que as desgraçadas tivessem sequer tempo de se baixar ahahahahahah

Palavra passa palavra, começou a juntar-se gente e logo ali se soube o que tinha acontecido. Um pouco mais acima, havia um muro onde as mulheres faziam poiso para descansar e junto a este havia uma grande macieira que todos os anos carrega de linda maçãs vermelhas. O dono andava furioso porque nunca chegava a provar os ditos frutos ... desapareciam mal começavam a amadurecer.

Nesse ano, tinha decidido que descobriria quem era o descarado que lhe roubava as maçãs!!! Durante a noite tinha-as besuntado com um laxante forte e ficara a aguardar o resultado ... havia de apanhar o ladrão !!! ahahahah

Naquele dia fiquei com a certeza de que havia uma incompatibilidade qualquer entre a maçã e a mulher ... bem me lembrava do que acontecera a EVA no Paraíso.



24 comentários:

L.S. Alves disse...

Muito boa essa história. Sempre ouço pessoas falarem que colocaram laxante na comida, pois, os ladrões de geladeira devem ser punidos. Mas é a priomeira vez que tomo conhecimento de alguém que levou a ameaça a termo.
Um abraço Pascoalita. Fez-me rir logo no início do expediente.

Laura disse...

Minha nossa, isso nem se fazia, mas vá que era laxante!... Na terra da minha mãe havia um ganancioso senhor que tinha muitas mas muitas uvas, das americanas como lhes chamamos agora, e a canalha já antes de nascer (os bebes pois ehhhh) já eram avisadas pelas mães que nunca mas nunca se aproximassem de tais parreiras e comessem as uvas da propriedade daquele senhor...Ele punha-lhes mesmo quimicos pesados que dariam cabo de qualquer um..e havia tanta fartura naquela terra e o meu avõ deixava comer e dava e até vinho dava que colhiamos muitas pipas enormes... O homem além de roubar terras ao meu avô que estavam dadas de boca (apalavradas sim..e todos sabiam disso, mas, ficou sem elas ele legalizou-as para ele...já faleceu e que lhe doa lá onde está...)que nem deve estar bem...
Mas as muiés tadinhas mais o rais das maçãs e tu agachadinha ehhhh...

africana disse...

Não crimes perfeitos...tá visto!ahahahaahahhah

Cusquinha endiabrada disse...

Esse dono era muito soberbo! Olha se o meu avôzinho do "espaço do João" era capaz de fazer tamanha maldade.

Taditas das mulheres.

E depois??? Conta mais ahahah

Mexicano Tarado disse...

Trabalhei numa empresa onde tínhamos um pequeno refeitório.

Havia uma colega que frequentemente se queixava que apesar de ter o cuidado de identificar os seus iogurtes, sumos, etc., eles lhe desapareciam.

Um dia, com o seu conhecimento, um outro colega injectou um preparado laxante num iogurte e aguardaram.

No dia seguinte, o chefe do sector ficou doente com gastroentrite ... o iogurte desaparecera do frigorífico ahahahahahah

Pascoalita disse...

I.s.Alves,

Ainda bem que te fiz sorrir ... a história é verídica e passou-se há muitos anos!

As mulheres, ainda moças, ficaram tão debilitadas que nem conseguiram levar os molhos para casa ahahahahah

Naquele tempo, os donos chegavam a dormir nos pomares para guardar a fruta; hoje apodrece e cai aos pés das árvores.

Pascoalita disse...

Laura,

A minha mãe sempre nos avisava para não mexermos naquilo que não era nosso e de nos mandar para a quinta guardar a fruta no tempo das cerejas.

Na aldeia havia um quintal junto da escola que tinha tangerineiras que na altura era fruta bastante rara.

Os garotos subiam ao muro e colhiam-nas, mas se o dono, um médico já aposentado, se estivesse por perto, era bem capaz de incitar os 2 cães a perseguir os miúdos.

Pascoalita disse...

africana,

Nenhum dos 2 crimes foi perfeito.

Mas a elas serviu de emenda! Se as visses como eu vi, borrarem-se todas e a vergonha que passaram ahahahahah ahahahahahahahahahahah

Pascoalita disse...

Cusquinha,

Era um maroto, sim.

Se fosse hoje, aposto que a população lhe "fazia a folha"

Naquele tempo, os "criminosos" inda tinham vergonha na cara ahahahahah ahahahahahahahah

Pascoalita disse...

mexicano,

Puxa!!! Esse patrão foi mesmo apanhado com a boca na botija!!! E terá sabido o que lhe provocou a diarreia???


De novo me atrevo a dizer que, se fosse hoje, era capaz de processar a dona do iogurte ahahahahahahahahah

Parisiense disse...

Ahahahahahah....o que faz estar de ferias e ir a aldeia.....só tu mesmo para contar uma historia destas!!!!!
Não meteste laxante na tarte pois não?????È só uma pergunta inocente!!!!!!!!!!
Beijokitas e obrigadinha pela sardinhada.....voltarei podes crer.

Palhacito disse...

eheheheheheheheheheheheheh
eheheheheheheheheheheheh
eheheheheheheheheh

Palhacito disse...

eheheheheheheheheheheheheh
eheheheheheheheheheheheh
eheheheheheheheheh

Laura disse...

Ó menina guardar as cerejas acho bem, o resto não, há fartura de tudo ehhhh olha a parisiense a ver s etinhas purgante na tarde d enozes, depois de a papar bem papad alembrou-de disso a marota..jinhos.

Teté disse...

Grande história e bem contada!

Mas não simpatizo muito com gente que se abarbata com o que é dos outros, de modo que o "castigo" das mulheres pareceu-me merecido... 'Tá que podiam ser putos pequenos, que tirassem uma maçãzita, mas mulheres adultas??? E pelos vistos ainda era prática reiterada, dado que o homem nunca via a cor das maçãs...

Se deu para ficarem com vergonha na cara, melhor ainda! Nem sou muito adepta da "justiça popular", mas no caso até me pareceu bem feito!

Jinhos, nina!

Laura disse...

E a nina pascoalita na foi capaz de sair doe sconderijo e gritar com elas que foi bem feita!..ah, aquelas maças deviams er mesmo boas, quando lá passares (rouba uma pra mim ehhh mas sem corantes ou conservantes suspeitos, ehhh)

Pascoalita disse...

Parisiense,

Deixa lá que se a tarte tivesse algo assim, inda ias a tempo ahahahahah

Haverá certamente mais oportunidades para sardinhadas.

A propósito, ontem foi robalo grelhado em cascais e hoje o manel arranjou 2 douradinhas que estavam óptimas :))

Pascoalita disse...

palhacito,

Vê lá se te cai o único dente que tens ahahahahahahh

Pascoalita disse...

Teté,

Concordo inteiramente contigo.

As coisas mudaram muito desde então, mas nesse tempo as pessoas ainda tinham vergonha.

Hoje os valores estão todos invertidos :((


Um jinho a ti

Pascoalita disse...

laura,

Por acaso não! Mas é verdade, elas mereceram ahahahahah

Só que não foram as únicas a papar as maçãs do ti Alfredo. Aquilo era "paragem obrigatória" de quem passava, mas aquelas tiverem azar e serviram de exemplo ahahahahahah

Rafeiro Perfumado disse...

Lembro-me de na minha aldeia se utilizar o mesmo estratagema com as uvas, polvilhava-se com um produto chamado CAGA-JÁ. Em alguns casos nem dava tempo para baixar as calças!

Beijocas!

africana disse...

..Sabeis onde está hoje a almoçar?Em Sesimbra..a comer para entrada ameijoas e como almoço arroz de marisco..Trata-se mal a rapariga!E ainda teve a lata de me convidar..só porque sabia que eu nao podia ir!GANDA AMIGA!

africana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pascoalita disse...

Ah pois foi ahahahah

Ganda almoço! ganda passeio! Hoje sim, finalmente senti que estava de férias!!!
Pena não ter levado o fato de banho para tomar uma banhoca ... o dia estava estupendo e o mar mesmo apetecível.