quinta-feira, março 22, 2007

A precariedade é o Primeiro Tema do Amor



Não chegaremos a tempo meu amor.
Quando despertarmos para tocar a matéria do amor
já a luz será outra e outro o dia
e mesmo nós seremos outros e também o amor.
Quando os nossos olhos gritarem
e quando descobrirmos o nosso nome
será preciso avançarmos sempre mais um passo
mais um passo para podermos tocar o amor.

Porque o amor corre à nossa frente
e respira como um animal que ninguém alcança
e faz de nós sempre a coisa que vai atrás
e porque a mão quando surge é já memória.

Porque o amor meu amor é um instante
e nós chegaremos atrasados e nunca será bastante.

Poema de António Jacinto Pascoal ... do seu livro
"A Contratempo"

17 comentários:

Conceição Bernardino disse...

Olá,
Espero que me desculpe forma como faço os meus comentários, mas é pura e verdadeira...
Para mim não chega, dizer está bonito ou lindo – por isso gosto de deixar pensamentos frases de outros autores como presente da minha gratidão e do meu encanto do que leio, do que observo nas imagens e na escrita.
É a minha maneira de ser...
A critica faço-as, da forma como somos tratados pelo Estado que ignora os problemas da nossa sociedade e como pouco ligam aos grandes talentos que encontro nos blogs.
Peço desculpa e se alguém não gostar da forma como faço os meus comentários agradecia que me dissessem pois tentarei melhorar.
Sou apenas uma amadora de escrita que escreve pela beleza de sentir na escrita as palavras que me vão na alma e penso que é essa a beleza que encontro naquilo que leio cada um escreve com a sua beleza.
Não quero com isto desrespeitar ninguém até porque as palavras lindas, bonito têm um grande significado no meu vocabulário.
Boa semana
Desculpem-me a repetição do post, mas julgo que nem todos entenderam...

Esta é a frase que vos deixo: se pudesses estar perto de mim talvez encontrasses a resposta porque te olho, porque choro sem te conhecer. Se um dia te encontrar entregarei o meu sorriso, é nele que escondo tudo aquilo que sinto só para te ver feliz.

Beijinhos
Conceição Bernardino
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Jotabê disse...

Pessoalmente, se tivesse de me referir em termos de precariedade, escolheria a paixão, mas talvez até tenhas razão, devido à sua realidade fugaz, nem direito tenha a ser precária, mas isto sou eu a divagar, inspirado num quotidiano em parte vivido, noutra parte contado.

Curioso, que tenho um post em ‘standby’, uma referência precisamente de António J. Pascoal a Álvaro Cid, muito bem escrito diga-se, e que será a minha opinião, embora não tendo ainda a certeza de que o irei publicar, dependendo tal do desfecho, que julgo mais que provável da escolha dos portugueses para o programa ‘Os grandes portugueses’, da televisão.
Tomara que nunca o publique.

:|

:)

Beijoca

@Memorex disse...

Pascoalita, obrigada pelas tuas palavras. Fico eternamente grata pelo teu incentivo.

È realmente um sonho no limiar da realidade...! Agora vou ler-te arduamente :)

Muitos beijos e abraços grandes!
Memorex.

Pascoalita disse...

Olá menina Alice :)

Desculpa, mas sou tão cusca qdo se trata de coisas deste género que não posso deixar de confessar que ainda antes de te ler aqui, fui a correr ao "nº 14" ver se havia novidades.

Pelo que pude perceber, ainda não transpuseste o "limiar" ... força, coragem e determinação para venceres essa etapa!
1 beijo

Pascoalita disse...

Jotabê
Creio saber a que te referes.

Facilmente encontramos, em Blogs de literatura, textos de informação e opinião de António Jacinto Pascoal

Eu tenho alguns livros de poesia deste jovem Professor que também é POETA! (calhar é ao contrário um Poeta, tb professor eheheheh)
1 beijo

Ahlka disse...

A precaridade está no nosso ser
«...e mesmo nós seremos outros...»

:)

Grilinha disse...

Vim cá confirmar que a CDias entrou por aqui e saltou para o blog sendo a visistante nº 250.000.
Um beijinho ás duas Adegueiras.

Ahlka disse...

Hehehehe Grilita, até te custou a acreditar que a cdias fosse tão lérdia ao ponto de deixar o mail como link em vez do blog, né?!
Eu não me entendo com os blogs do sapo, só sai asneira...aliás eu não me entendo com qualquer 'modernice' :))
O fim de semana está à espreita e promete ser solarengo, bom fds a todos!

Pascoalita disse...

Já fui ao Blog da Grilinha chamar-lhe "espiona"! eheheh
As coisas que a gente ouve ou lê vindas dum "grilo" hein?
:d)

Moura ao Luar disse...

Beijooooo

Tozé Franco disse...

Vim aqui parar não sei como e gostei do que li. Parabéns.
Bom fim-de-semana.

Pascoalita disse...

Olá, Tozé :)

Cuidado! olha que não me parece ser boa ideia andares assim à deriva sem saber bem por onde e com quem eheheh
Eu sei sempre por onde ando! E acabei agorinha mesmo de visitar, um pouco à pressa, 2 cantinhos que me parecem bem agradáveis e merecederos de mais visitas ... os teus "Histórias e Sabores" e "Coimbra dos Amores"

Bom fim de semana tb para ti
:-)

marius70 disse...

Se o amor vai à frente tenho que dar corda aos sapatos! :)

Um poema em que o autor crê que o amor é precário e instantâneo, em que a subtileza de um olhar pode originar a reciprocidade de um outro ou quiçá numa procura constante de saber que nem sempre o amor é algo permanente.

Tudo de bom

Pascoalita disse...

Olá amigão Marius :-)

Tanto qto sei do autor do poema, é alguém que fala do Amor com conhecimento de causa.

Precário, volúvel, efémero é tudo. A começar por nós mesmos.
Bom fim de semana
1 bjito

Sharon disse...

Ñão ´posso falar de amor pois nunca o deixei entrar!
Beijo até!

mary90 disse...

Olá Pascoalita.

Não gosto de chegar atrasada ao pé do meu amor,vou correndo:)
Bonita imagem.
Boa semana.
Beijocas

Vilaça disse...

O amor, sempre "ele", para nossa desdita...