terça-feira, março 06, 2007

Bem me quer, mal me quer ...


Quando em 1995 deixei a capital para vir morar para os arredores (zona a oeste) de Lisboa, ficava verdadeiramente deslumbrada com a paisagem que vislumbrava da janela do autocarro e que me recordava as minhas origens, em terras beirãs. Lembro-me que viajava sempre à janela para melhor apreciar os campos extremamente cuidados, mas o que mais me impressionava e me deixava estupefacta eram as cenas vividas dentro do próprio autocarro. Cenas que seriam impensáveis na grande cidade, e que ali, a dois passos, ocorriam com a maior naturalidade, como se pelo menos um século separasse estes dois mundos!

Para se fazer uma ideia, posso referir que os 30 km que me separam da cidade e que actualmente se fazem por via rápida em pouco mais de 20 minutos, quando apenas se dispunha de estradas secundárias demoravam mais de 1,30 a percorrer! E, como nessa altura os autocarros atravessavam a cidade, tendo esta empresa o seu terminal à época no Largo do Martin Moniz, lembro de haver dias, no Inverno, em que de regresso a casa em horas de ponta, chegávamos a demorar mais de 2 horas só desde a Praça do Saldanha até ao Lumiar.

Suponho que não será difícil imaginar que neste ambiente, umas vezes bem divertido outras menos agradável, se abordava todo o tipo de conversa e ocorriam cenas tão caricatas que ainda hoje me divirto à custa disso (tempo havia de sobra!) desde o autocarro parar na berma da estrada para uma idosa fazer as necessidades fisiológicas, uma avó pedir para parar junto dum fontanário e esperarmos enquanto o seu netinho matava a sede, o próprio motorista interromper a viagem para comprar numa drogaria próxima "limpa vidros" que a seguir depunha nas mãos dum passageiro voluntário (por acaso era sempre o mesmo ... o meu Amigo Sr. Rogério) que se encarregava de manter o "pára-brisas" desembaciado, até ver voar pela janela o boné do passageiro da frente e este em gestos aflitivos implorar para parar porque era uma recordação dos tempos em que cumprira serviço militar em Angola, de tudo acontecia. Enfim, durante anos assisti a muitas e divertidos estorietas, algumas cómicas envolvendo "trocas de mimos entre vizinhos" ou "flirts", outras relatando factos de contornos arrepiantes e fins macabros, que inclusivamente chegaram às páginas dos jornais, amenizando assim o efeito das enfadonhas viagens ao fim dum dia de trabalho.

Foi numa dessas longas e infindáveis viagens de regresso a casa, que um sujeito a quem acabaria por baptizei de "baixinho" e "pinga amor" me fez a "declaração de amor" ou "cantada" mais inesperada, divertida e hilariante de sempre! Creio que estávamos em Março ... Primavera à porta, nessa altura ainda se distinguiam perfeitamente os viajantes ocasionais, no caso um sessentão aposentado, que talvez influenciado pelo sol primaveril, após o compreensível recolhimento de Inverno, retomava os "sazonais passeios" à capital.

Lembrava-me de o ter visto antes apenas umas duas ou três vezes, tendo-lhe certamente dirigido palavras simpáticas como é meu hábito. Nesse dia ocupava o lugar a meu lado e aproveitanto uma "paragem forçada" do autocarro, apressou-se a sair para regressar minutos depois com uns malmequeres na mão, que colhera à beira da estrada, sentando-se de novo a meu lado, e começando a "rezar uma ladaínha" mais ou menos assim:

- Sabe, já estou viúvo há 8 anos ... sinto-me muito sozinho! Sou refomado militar já há uns anos, tenho poucos amigos, a menina é muito simpática e comunicativa, assim até dá gosto viajarmos ... era uma menina assim alegre, divertida, bem disposta, que eu precisava para alegrar os meus dias! Ai se a menina não fosse comprometida!!! Não tem uma irmã? Indagava ele, para logo continuar:

- Sabe, tenho uma paixão antiga ... não queria morrer sem conhecer o Brasil, mas não queria ir sozinho. Há quem se disponha a ir comigo, mas aí sou eu que não gosto da companhia.

Ao referir-lhe que também eu gostaria de conhecer o país irmão, apressa-se a propor-me:
- Não quer ir comigo? Venha daí comigo! Comprometo-me a assumir as despesas e passávamos uma ou duas semanas inesquecíveis!!!
Enquanto isso, suponho que num gesto impensado, talvez para fisfarçar uma pontinha de timidez, ia desfolhando os pequenos malmequeres. Quando apenas restava um, vendo-o tão aplicado a arrancar-lhe as pétalas uma a uma, sugeri:
- Ora, deixemos ver o que diz o "malmequer" ...

20 comentários:

Jotabê disse...

...deixa-me adivinhar, o malmequer disse para o 'pinga-amor' ir sózinho ao Brasil. :)

Engraçada esta tua estória de autocarro, fizeste-me lembrar as estórias que a minha irmã contava, que se passavam com ela, nos transportes entre a nossa casa e Paço de Arcos, onde começou a dar aulas, estórias que a levaram a casar-se com o actual marido, companheiro dela também de intermináveis viagens nos transportes públicos.

Uma que chega a tocar o irreal, deu-se mesmo antes de se conhecerem, chegavam a zangar-se um com o outro, zanga que se traduzia unicamente em não se sentarem lado a lado. Consegues imaginar? Claro só podia dar em casamento.

:)

beijoca

david santos disse...

Olá!
Boa estória. Espectacular, mesmo. Mas as imagens... se queres que te seja franco... assentam que nem uma luva.
Parabéns

Pascoalita disse...

Jotabê :-)
Não, nem ele nem eu chegámos a ir ao Brasil. Eu, para o desencorajar, ainda lhe disse k eu e mais 2 amigas (a Laurita e a africana) planeávamos há mto uma viagem ao Brasil e propus-lhe k iria se nos pagasse a viagem às 3, mas ele ficou desconfiado e nada de abrir os cordões à bolsa eheheh (curiosamente pouco tempo depois, a laurita foi a única a fazer a dita viagem e nós as duas ficámos a ver navios eheheh)

Uma 2ª hipótese era irmos sim, mas depois dele transferir a conta bancária para o meu nome e me passar o cartão multibanco para as mãos e ainda assim, iríamos para "Fortaleza", tás a entender? Ele k por momentos até pareceu levar-me a sério, depressa entendeu a estratégia, acabando por me dizer "sua ganda marota ... a menina é safadinha!" eheheh

Mas passado o primeiro impacto, ainda almocámos 2 ou 3 vezes juntos e até fui com ele ao Bingo eheheh posso dizer k nos tornámos amigos. Ele continua à procura da sua "cara metade" e eu continuo a mesa descarada e brincalhona de sempre eheheh

Pascoalita disse...

ahahah
Cenas dessas k contas da tua mana ocorriam com frequência tb ali ... "arrufos de namorados". Aliás, da próxima vez k veja o tal "baixinho" é o k vai acontecer ... tenciono esforçar-me por fazer cara séria (zangada se for capaz), cumprimentá-lo à distância e ir sentar-me longe dele, mas isso apenas para o deixar confuso e baralhado por algum tempo eheheh
É k o malvadinho k se dizia solitário e carente, delirava com os meus brincalhões sms e há um tempito atrás conheceu uma potencial candidata ao seu coração (lá fui destronada eheheh) e teve o descaramento de me dizer k receava k estes lhe arruinassem o "namoro" pq a dita era ciumenta eheheheh
Bem, nesse msm dia 30/Nov/06 mandei-lhe o último ... desejei-lhe logo Feliz Natal, Bom 2007 e nunca mais soube nada dele eheheh
lá foi Bingo e sociedade do Euromilhões pró galheiro eheheh

Pascoalita disse...

david santos
Destas, divertidas e verídicas, tenho muitas k darão para entreter os meus netos se e qdo vierem :-)

Pois claro, este ramito de malmequeres simboliza o outro, apanhado à pressa e k se não me engano incluía até uma papoila

Costumo dizer que são estas vivências k ocorrem no "verão" e "Outono" da vida que nos farão suportar o "Inverno" qdo ele chegar
1 beijo

efvilha disse...

Nenhuma paleta de cores serviria para pintar um quadro tão intenso de vida.

Imensa responsabilidade essa, a do malmequer.

Que decidiu ele sobre a tua vinda ao Brasil?
Só, ou acompanhada, sê cá bem-vinda.

Abraço.

Conceição Bernardino disse...

Olá,

Povo

Ò povo que trais sem saber
O corpo que cansada da luta não
Pode ver

Ò néscio que não tiveste
Quem a ti te ensinasse
A andar.

Ò triste que caminhas com os
Pés dos outros,
Sem saber no que estás a pisar!

Poema da autoria de LILIANA BARRETO do LIVRO POISEIS II

Desejo-te uma bela semana, na companhia deste belo poema que encantou os sentidos.

Beijinhos ConceiçãoB
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Laura disse...

Pascolaita ehhh só tu para me pores mais bem disposta do que já estava ehhhhhhhhhhhhhh..Eu já sabia da história, mas que a contasses...... E realmente nem querias mais nada..O homi alguma vez nos levava às 3 para lá..só para acabar a dormir contigo..iria pagar pa nóis? ehhh tadinho...ele já mostrou que é bem agarradinho aos milhões dele.... vejam bem que cinquentona nem tem problema em arranjar companhia ehhhhhh.. Quem sabe outro que venha abra mais os cordões à bolsa ehhhhhh.

Pascoalita disse...

eheheh tadito do "baixinho" não te esqueças que era ele que pagava os cartões do Bingo e té se sentia responsável se eu ficasse viciada, lembras-te?
Hummm tinha cá um medo k eu "aprendesse" a ir ao Bingo sozinha :d)
Como ainda tá frio, o homem que se cuida ao máximo com medo que "ela" o venha buscar antes de gozar tudo a que tem dto, ainda deve tar recolhido ... há meses k não sei nada dele (Deus me livre k a "coisa" não dê e eu seja responsável por isso, né? eheheh) mas um dia destes já recomeça os passeios.
Deixa ver se inda se mantém de pé o convite ao Brasil (agora fica mais barato ... tu já foste eheheh)

Laura disse...

Pois fui, e se é mais barato nem sei, mas que ias pa lá fazer tão mal acompanhada muié? Credo..ai se um certo hortelão se lembra de vir regar prá qui...já tou a ver a enxada a sachar sem ser na horta dele....
Depois na te queixes..ehhh a gente brinca brinca com coisas sérias..e eu então..mas nem é por mal, ao menos rimo-nos e com vontade....jinhos a ti..

Pascoalita disse...

eheheheh o mê hortelão está a par de "quase tudinho" mana! (hummm só não sabe do tal convite :d)
Esqueces k eu tenho comichão sob a língua??? eheheheh
Além disso, o "baixinho" já esteve lá em casa e o hortelão té simpatizou com ele eheheheh

africana disse...

Pois é..a Pascoalita ensaboa, ensaboa, mas não passa disso,hahahah, verdade se diga que também não foste meiga em pedir!
Tadito do "pinga-amor",tanto empenho e nadita disto se realizou, nem namorada, nem ida ao Brasil e neste momento nem as idas ao bingo e às moelas se concretizam.Quem tudo quer..ahahaah

Ah!Pois é!Se o hortelão por aqui aparece..bem podemos dar corda aos sapatos e vais vêr como batemos os cem metros livres em tempo record!O nosso futuro ainda vai passar pelos atletismo!!

Fallen Angel disse...

Pascoalita... não fui eu...

O meu malmequer da outra vez era inofensivo...

E se queres ir comigo ao Brasil pagas as tuas despesas... era só o que mais faltava...

Pascoalita disse...

Oh!
"Meu anjinho" ... (terreno eheheh)
Não me digas k não me davas boleia nas tuas asas :d)
Ora bolas! anda uma pessoa aqui a esforçar-se a manter bons contactos, a fazer amizades tão especiais para ler decepções destas.
Assim, fico tristinha ... acho k vou até ao cantinho da adrianna e encosto-me tb ao arbusto ou então estendo-me na areia de cara escondida pq tal como ela tb tenho vergonha na cara ... não gosto k me vejam chorar eheheh

Laura disse...

Ó Anjo..então isso faz-se? quandos e convida, paga-se ..ora bolas, mas decerto que tens asas que cheguem para carregar com ela até lá..ehhhhhhhhhhhhh..mais que não seja terás poderes para mudar o visual das coisas e leva-la ali a trás os montes, transformas aquilo numa praia Brasileira e pronto..a patega acredita que foi aos Brasius e tudo ehhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh..

Fallen Angel disse...

Laurinha permite-me discordar. Se levasse a Pascoalita para trás dos montes ela não imaginava o Brasil, imaginava o sétimo céu. ;-)

( As meninas já foram conhecer o meu « alguém muito especial » ? )

Laura disse...

E queres dizer-me ó Anjo o que há lá no sétimo céu? tem doces?, senão ela nãoq uer..ehhhhhh como és perito em cúes, pois deves galgar todos..semrpe sabes melhor ensinar o caminho pá gente....jinhos..
Já fui ver e que pena tenho de não poder ajudar a maria..se digo que não posso, é que nem posso mesmo..entendes?

Pascoalita disse...

Lauritaaa
Já viste quem entrou no Blog da adrianna? O nosso "Pedrito" :d)
O safadinho, hein???
Ontem falámos ao telefone, disse andar em exames e não ter mto tempo para vir ao "pascoalita".

Para o espevitar, falei-lhe do teu "résteas" e da divertida adrianna e seus temas marotos e não é que o safadinho ficou msm interessado ao ponto de aproveitar um intervalo das aulas na faculdade? eheheheheheheheh

António Rosa disse...

Depois de ter terminado com o "Postaias da Novalis" para me dedicar mais à astrologia, tenho aproveitado este tempo para desenvolver mais os conceitos evolutivos dos signos do zodíaco, como base elementar desta nossa reencarnação.

Aqui fica o convite para conhecer melhor o signo onde está o seu sol de nascimento, assim como o dos seus familiares e amigos.

Copie-os para o word, para melhor poder reflectir sobre o signo mais importante do do seu zodíaco.

Agradeço comentários no sentido de melhorar os textos, aprofundando-os.

Um abraço,

António Rosa

Ahlka disse...

Se a vida fosse feita ao sabor do malmequer, estavamos bem arranjados! :))

Vim deixar um bjito antes de voar para outras bandas... :)*