domingo, julho 13, 2008

Passeio ao Interior do país

1º DIA


À hora previamente marcada (7,30h) um casal de turistas encaminhava-se animadamente para o ponto marcado (junto a esta placa), onde um trio de veraneantes já aguardava o bus que os levaria em direcção à Ericeira e aí recolherem os últimos passageiros para um passeio de 2 dias à zona centro/interior do pais ... Coimbra, Lorvão, Serra do Açôr/Piódão)

Ocupámos lugar sensivelmente a meio do autocarro, fazendo apenas mais 2 paragens antes de seguirmos para a A8 em direcção a Leiria, onde a nossa Guia se juntaria ao grupo.


Depois duma ma breve paragem na estação de serviço de Torres Vedras para tomarmos o pequeno almoço, rumámos até ao Lorvão, para uma visita guiada ao mosteiro.



























Fiquei impressionada com tanta beleza, mas desolada com o estado degradado do claustro e do mosteiro em geral, sobretudo das suas telas. Foi-nos dito que está em curso um projecto de restauro das mesmas.













Para além das fabulosas telas que se mantêm na sacristia, destaco o magnífico cadeiral feito em jacarandá preto do Brasil, os túmulos de D. Teresa e D. Sancha e este lindíssimo realejo.
















Seguimos para o hotel, onde almoçámos e ficaríamos instalados. De tarde pudemos desfrutar de um calmo e relaxante passeio de barco no rio Mondego.












O passeio incluiu uma rápida visita à Igreja de Santa Clara nova, de onde podemos observar uma panorâmica espectacular da cidade de Coimbra, com o mosteiro de Santa Clara velha em baixo.












Ainda houve tempo para um passeio pelas ruas da baixa de Coimbra, uma breve visita à Sé e um lanche que incluiu uma ou outra iguaria tradicional da zona. Depois do jantar, no hotel, assistimos a uma espectacular sessão de "fado de Coimbra" .

Continua ...

14 comentários:

Vb disse...

E como prometido chegou meu livrinho. Nele, muitos textos constituem histórias reais…Outros pura ficção! Alguns não serão nem uma coisa nem outra. Serão puras divagações, meras alucinações!
O último texto e que dá o nome ao livro é uma história real e dramática.
Uma noite o meu sobrinho Pedro Miguel, foi atropelado e morreu. Ia fazer nove anos na semana seguinte. Tinha marcado um golo no dia anterior…
Nesse momento eu senti tocarem-me no ombro e uma voz a dizer-me:
-Tio, Os Meninos Nunca Morrem
A partir desse momento eu soube que tinha de guardar aquele golo e de lhe oferecer este livro…
Este livro é também de todos vós, meus leitores e amigos virtuais.
Espero que gostem. Grato fica o meu:

Muito Obrigado

Vítor Barros

Vb disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pascoalita disse...

Olá, VB :)*

Que bom ver-te por aqui e que bom saber que é agora possível reler a história em livro!

Parabéns! O teu menino estará certamente feliz porque os "meninos nunca morrem"
Um beijo

Cusquinha endiabrada disse...

xiiiiii aqui pra nós, conheço essa sensação de medo ... eu tb me ia borrando de medo ahahahah

Diz à nina africana que não és nada medricas, só que "quem tem cu, tem medo" ahahahahahahahahahah

Adrianna disse...

Mas no fim o passeio valeu a pena, não? Fazes bem ir aproveitando ... o nosso país tem recantos muito bonitos :)*

Boa semana de trabalho
Um beijo

MissEsfinge disse...

Hummmm Esse passeio no rio mondego até ao açude também já fiz e é mesmo muito agradável.

Mexicano Tarado disse...

Então e onde estão os pasteis de tentúgal? E as arrufadas de coimbra? Os pastelinhos do lorvão?

Parisiense disse...

Esse Mosteiro é parecido com o de Arouca.....os clçaustros, o cadeiral.....hihihihi......até parece que vieste visitar-me....ahahahhaah

Aproveita nina porque há muita coisa linda neste país a visitar, e onde menos se esprerta lá aparece um monumento.

Já estou a ver que foi um fim-de-semana e peras!!!!!!!

Pascoalita disse...

Pois é, Cusca!
Claro que sentiste medo ahahahah
E já dei o recado à nina africana (está de férias, mas veio tomar café comigo) recomendei-lhe o passeio eheheh

Adry,

Valeu a pena, pois! Foi tudo lindo, agora à distância até os precipícios da serra do Açor são maravilhosos ... eu sou do tipo que tenho mto medo mas pouca vergonha, sabes? ahahahah

Pascoalita disse...

mexicano tarado,

Eu até nem sou mto apreciadora dos pasteis de tentugal, mas comi um acabadinho de fazer que estava uma delícia.

Ainda pensei trazer uma caixinha deles, mas os homens são uns chatos ... o meu manel fez-me mudar de ideias eheheh

Pascoalita disse...

nina parisiense,

Olha, a minha memória anda muito por baixo, mas durante a palestra do Guia do mosteiro (um senhor formado em história e que percebia daquilo a potes) fez várias referências a Arouca!

Se bem entendi, são do mesmo período e têm muito em comum! Se tivesse tempo, consultava os respectivos sites.

Só sei que adorei a visita e custou-me mto ver os paineis tão deteriorados (vão ser em breve restaurados)
jinhos

Pascoalita disse...

Ah! Esqueci de dizer uma coisa ...
O meu manel prometeu que em agosto, qdo fizermos a habitual visita à sua terra natal, ficaríamos instalados em lamego e daríamos um saltinho a arouca ... hummm já tou em pulgas para conhecer e se possível te rever.

jinhos

Pascoalita disse...

Lorvão mexeu mto comigo! Tenho um irmão que sofre de "esquisofrenia paranoica" e esteve ali internado durante longos períodos.

Actualmente com 52 anos, sobrevive na aldeia, sozinho, praticamente entregue a si próprio.

Nunca ali tinha ido e desconhecia que o hospital psiquiatrico ficava paredes meias com o mosteiro (ocupa mesmo parte das instalações).

Grilinha disse...

Mais uma bela passeata.

Andas semprea veranear