sábado, junho 14, 2008

Poema Satírico de Bocage


Retirado do site do Institito de Camões deixo aqui um poema satírico de BOCAGE que é ao mesmo tempo um pequeno desafio.

Clicando aqui tentem ordenar os versos que constituem uma história bem divertida.

Por fim é só verificar se estão na ordem correcta.



Num outro site, a minha escolha recaiu neste poema


Invocação à noite

"Ó deusa, que proteges dos amantes
O destro furto, o crime deleitoso,
Abafa com teu manto pavoroso
Os importantes astros vigilantes.

Quero adoçar meus lábios anelantes
No seio de Ritália melindroso;
Estorva que os maus olhos do invejoso
Turbem d'amor os sôfregos instantes:

Tétis formosa, tal encanto inspire
Ao namorado Sol teu níveo rosto.
Que nunca de teus braços se retire!
Tarda ao menos o carro à Noite oposto,
Até que eu desfaleça, até que expire
Nas ternas ânsias, no inefável gosto."

Bocage



4 comentários:

Mexicano Tarado disse...

Ehpá!!! Ehpá!!! Ehpá!!!

Numa altura em que as sumidades estão empenhadas em "amputar" a nossa língua materna, vens tu com "aulas de português"??? ahahah

Mas apesar das minhas origens mexicanas, acertei à segunda tentativa :))

Have a nice week

Parisiense disse...

Boa pascoalita....para começar uma semana chuvosa nada como um poema caliente!!!!!!

E Viva Bocage.

Boa semanita e beijokitas

Cusquinha endiabrada disse...

Olha,
Cliquei onde dizes e nada aconteceu! Há aqui marosca ahahahah

MissEsfinge disse...

Não vi nada do que dizes, mas esse poema invocando a noite, foi uma boa escolha ...

A noite me lembra a lua
confidente dos amantes
e as escapadas nocturnas
num tempo já tão distante

:)) :))