segunda-feira, agosto 06, 2007

Podemos ignorar ???


Lembram-se de recentemente, neste endereço http://coisasentreoutras2.blogspot.com/
a nossa Amiga AHLKA ter dedicado um post ao tema "Fundações e ONG" ???

Então, certamente também se lembrarão que por esses dias afirmei ter-me sentido encorajada a tirar uma foto que traduzia um aspecto da degradação humana a que diariamente assistimos, e que a mesma talvez acabasse aqui publicada. Hesitei bastante em fazê-lo porque no meu dia a dia já lido demasiado com cenas bárbaras e, por opção, tinha decidido usar este cantinho exactamente para me libertar e desintoxicar. Digamos que este post pretende ser "uma excepção".

Pesquisando sobre o tema, fiquei encantada com este lindo logotipo, que parece inspirar confiança e sugere fraternidade. Quase nos leva a acreditar que as Fundações e Ong's cumprem os objectivos e fazem de facto juz ao seu nome ... "Organizações Não Governamentais sem fins lucrativos". A realidade, no entando, tem-nos mostrado que raramente assim é.

Gostei spbretudo do capítulo: "como criar uma Ong", a explicação passo a passo como criar ..." ou ainda: "como fazer doações" (vou pensar nisso eheheh) curiosamente não fiquei esclarecida sobre a ajuda que prestam (devo ter pesquisado mal eheheh)

Esta é a foto que captei por esses dias e que tenho tentado em vão esquecer! É apenas uma entre muitas que qualquer um de nós poderá captar diariamente, bastando estarmos minimamente atentos.

Nesse dia, ao sair do trabalho e nos escassos 200 ou 300 metros que me separam da estação do metropolitano, cruzei-me com 3 destes "farrapos humanos" cuja existência certamente as benfeitoras organizações ignoram.


12 comentários:

Grilo da Idanha disse...

Certamente que não!
Não podemos, mas fazemo-lo.
De uma forma ou de outra, passamos ao lado!
Mesmo quando respondemos a uma mão estendida e mergulhamos por instantes na miséria escancarada que se nos depara, raramente passamos para lá desse momento.
Há uma hipocrisia transbordante na sociedade e uma ausência de humanismo gritante. As ONG´s, respeitando o trabalho positivo de muitas, não fogem é regra.
Muitas ONG´s nascem pela mão de genuínos humanistas, mas algumas acabam por se transformar em máquinas de angariação de fundos, apenas com uma reduzida percentagem do dinheiro obtido a ser utilizado em verdadeiras acções humanitárias.

Teté disse...

Estou baralhada... porque é que este post aparece com data de dia 8, daqui a dois dias?
Sabes para que serve a AMI, por exemplo, mas muitas delas parecem só servir para angariar fundos.
Conheço gente que, voluntariamente, vai servir refeições a estes desgraçados -nada de muito sofisticado, umas sandoscas e coisas assim - que são fornecidas por uma ONG dessas, bem como respectivos meios de transporte.
Ignorar, só para quem tenha feitio de avestruz!

Adrianna disse...

Acho que se passa contigo o mesmo fenómeno que me afecta durante as férias ... numa altura em que podias relaxar e só pensar em coisas boas, fazes exactamente o contrário.

Sabes que mais? Vai dar um mergulho! eheheh

Pascoalita disse...

Olá, Grilo da idanha :)

A miséria é tanta que nos sentimos impotentes e tentamos alhear-nos para criar defesas e não nos deixarmos afundar.
Uma pessoa sozinha, pouco ou nada poderá fazer para melhorar o mundo, mas unindo esforços, poderiamos fazer a diferença.

teté,
É muito simples ... qdo escrevi o texto,hoje cedo, era minha intenção só publicar daqui a 2 dias, mas a seguir mudei de ideias e nem reparei na data.
Obrigada pelo reparo. Já corrigi.

Tb conheço por exemplo igrejas que aceitam bens e distribuem uma pequena ajuda aos "sem abrigo".

Grilo da Idanha disse...

:)

Diabinha cusca disse...

Tou a ver ali um sorrisinho amarelo ... então Grilinho???

Mostra aí o teu sorriso de orelha a orelha, canudo!
Pascoalita, conta aí uma piada das tuas eheheheh

Ahlka disse...

Vou parecer uma insensível, mas há coisas que me chocam bem mais do que os sem abrigo.
Sem querer ser injusta para os outros, uma grande percentagem escolheu essa situação como modo de vida. Simplesmente porque condiz mais com a sua forma de estar.
Por norma sou mais sensível ao sofrimento em idades de grande vulnerabilidade: Primeira infância e terceira idade avançada.

Grilo da Idanha disse...

aaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhh ehehehehehehehehhehehehehehheh, ufa.
:):):):):):):):):):):):):):):):)

Já tá Diabinha!

Diabinha cusca disse...

Liiiiiindooooooooo (resposta ao Grilo falante, quer dizer sorridente ahahahah)

Pascoalita disse...

Concordo contigo.

Tb tenho tido conhecimento de gente que optou por esse tipo de vida, mas não deixa de ser chocante.
E claro que concordo contigo que ha outras coisas piores. O que não falta são situações que nos deixam tristes, impotentes e incrédulos! Então, nas últimas semanas, abundaram os casos bárbaros e macabros ...até parece verdade o que se dizia qdo eu era miúda ... "O diabo anda à solta"

1 beijinho a ti

Laura disse...

Pascoalta, há meses fui oferecer-me voluntária para vuma causa em prol de ajuda aos desfavorecidos que vivem na rua. Até ali tudo bem, eu chorava com pena de ver o que vi, uma senhora já de idade, cabelos brancos comrpidos, soltos e os seus haveres apenas um carrinho daqueles de ir às compras, cheio das cosias dela, um casaco comprido quentinho (era inverno) e por várias vezes a vi na rua (sempre na rua a andar devagar como se fosse ter a algum lugar) falei nela, disseram-me que ela quer viver assim, que não quer ir para abrigo nenhum que gosta de dormir onde calha e onde der. Fiquei desanimada e eles a mesma cosia, arranjam-lhes trabalho e voltam para ali, uns mals e lavam, não querem, e uma amiga minha levou as roupas de um jovem de 24 anos, lavou-a na sua máquina,a quilo mal ficou limpo, passou e eu dei muitas calaçs de ganga que pedi a amigos, sapatos casacos camisolas etc etc, levei uma malona enorme de coisas ainda muito boas. mass eles é que não querem nada de amarras a casas ou instituições, só querem que lhes dêm de comer e que os deixem andar por ali... Raios, a mim custa-me ver, normalmente nem os vejo, apenas vi uma ou duas vezes lá na avenida e chocou-me, fiquei ali a olhar e a tentar sentir o que sentiria se fosse eu, que raio, um nada pode fazer, mas todos fariamos a diferença...

africana disse...

Não querendo apontar nada a ninguém, acho que estas situações são muito profundas para as analisarmos de ânimo leve.Também estou de acordo como que diz a Ahlka, no que toca as crianças e aos velhos, mas no que toca aos sem abrigo..não é um assunto fácil de comentar, mas que é doloroso, sem dúvida.