quarta-feira, fevereiro 25, 2009

Então ... perguntar não ofende.

A minha colega Alice era pouco dada a brincadeiras, nada maliciosa e um pouco lenta de raciocínio. Natural duma pequena aldeia do norte do país, partira cedo para terras africanas, onde tinha família.

Regressara a Portugal em 1975, na sequência da independência de Angola e alguns anos depois integrou o quadro de pessoal do Departamento onde eu já trabalhava há cerca de 5 anos.

Estávamos então em finais dos anos 70. Um dia encontrava-se ela encostada à esquina da rua perto do local de trabalho aguardando o marido que fora buscar o carro que deixara estacionado a 2 quarteirões, aproxima-se dela um sujeito de meia idade que em voz pouco perceptível lhe faz a seguinte pergunta:

- A menina é da reforma agrária???

Sem compreender a pergunta, hesitou atrapalhada, ao mesmo tempo que lhe dirigia um sorriso, encorajando-o a continuar o diálogo:


- Tem carrito, tem? Perguntou-lhe.
- Sim, estou à espera dele. Respondeu ela.
- Ah! Então a menina já ganhou para um carro! E até tem motorista. Muito bem! Continuava ele, aproximando-se cada vez mais.



Minutos depois o Datsun cinzento pára em frente deles. O marido da minha colega, por sinal inspector da PJ, abriu a porta à mulher e enquanto esta se sentava a seu lado, o estranho muito despachado, abriu a porta de trás e preparava-se para ocupar o banco trazeiro quando é barrado pelo condutor que o ameaça exibindo uma barra de ferro que trazia sempre no carro.

Gerou-se alguma confusão, o condutor que era citadino reagiu mal ao argumento e à expressão "reforma agrária" e quando o "candidato a pendura" viu este sair do carro, de barra de ferro em punho, caiu em si e foi tal o susto que esvaziou a bexiga ali mesmo.

No fim tudo terminou bem ... o pobre homem, ainda confuso e desiludido, afastou-se enquanto ia gaguejando:

- Então ... perguntar não ofende! Ou ofende?

Durante muito tempo o incidente foi tema de risota na chafarica com algumas de nós a perguntar frequentemente à colega:

- Alice, mas afinal és ou não da "reforma agrária"? eheheheheheh

19 comentários:

Teté disse...

Eh, eh, eh! Olha que sou nascida e criada em Lisboa, mas essa da "reforma agrária" nunca tinha ouvido falar... :)

Claro que suspeitaria de um gajo de meia-idade a meter conversa, se estivesse à espera de alguém numa esquina... :D

A história está fantástica! (e se adoro historietas)

Jinhos, nina!

MissEsfinge disse...

Xiiiiiii

Conheço algumas expressões para definir o que esse tipo queria expressar, mas ...

"reforma agrária"? ehehehehe

Mexicano Tarado disse...

pois ...

da reforma agrária ou da pide antes, companheiras de luxo hoje rsrsrs

Gatinho frenético disse...

ahahahah "candidato a pendura" ??? Gostei!

Não quererias dizer antes "candidato a uma cabeça rachada e 2 pernas partidas" ? ahahahah

É por isso que eu pelo sim, pelo não lhes dou música para as adormecer :))

Laura disse...

Nossa Senhora, pró que lhe deu..e o outro entrou e sentava-se, mas, ca grande confusão, calhar ele epnsava que o homi era o motorista e ela levava-o prá reforma agrária, ai, ai, ai o que me ri e pobre da alice...mas que risada gostosa me deu durante instates... Beijinhos nina apscoalita, e o homi trazia a barra de ferro já prássustar os incautos, ou a alice era um modelo de beleza ou então..tinha minhoca na cachopa da cabeça, ehhhhhhh

Pascoalita disse...

Teté e mis Esfinge

Foi na época em que se convenciam os trabalhadores rurais de que "a terra era de quem a trabalhava" e o tema "reforma agrária" andava na boca do povo por tudo e por nada eheheh

Tb gosto de historietas :))

Jinhos

Parisiense disse...

E afinal ela era ou não da "reforma agrária"??????
È que eu sou loira e tambem não entendi se ela era ou não da "reforma agrária"....ahahahhahah

Eu cheguei a ligar para o talho e perguntar " o senhor tem cabeça de porco???"aahahaahahahah

E claro tambem achava que perguntar não ofendia, né??????

Beijokitas

Pascoalita disse...

Isso mesmo, mexicano.

És tarado mas sabed de horta eheheh

Pascoalita disse...

Gatito frenético

Pequenino mas muito sabidinhoooo

Pascoalita disse...

Laura

Aquele devia ser tipo "lapa" ...

E de comprensão tão lenta que só à porrada eheheheh

Livrou-se de boa! Olha que conheci bem o marido da minha colega e era daqueles que não se ensaiava nada para correr um tipo à paulada ahahah

Pascoalita disse...

Parisiense,

Era tanto da reforma agrária como eu e como tu eheheheheh

Ela também veio de África onde não se calhar nem nunca tinha ouvido falar da "rua direita" lá do sítio eheheheh

Diabinha Cusca disse...

Esta história lembrou-me como o zé do canito é sortudo eheheheh

Olhem se em vez do leiteiro batia à porta um tipo desses empunhando uma barra de ferro? ihihihih

Mariazita disse...

Cheguei há cerca de meia hora e já estou ao leme…

Venho, em nome da Líria, agradecer a visita ao Lírios.
Ela voltou à sua actividade normal de estudante,
que a obriga a manter-se afastada.
Na sua ausência, tentarei manter o barco em andamento.

Espero poder continuar a contar com a tua visita.
Até sempre.

Beijinhos
Mariazita

Pascoalita disse...

Mariazinha

Obrigada pela visita ... apesar do meu tempo tb ser escasso, tentarei ser visitante assídua do vosso cantinho que acho bem acolhedor :))

Jinhjos às duas

Zé do Cão disse...

Com a idade que tenho, ouvi muitos nomes, menos esse da reforma agrária.
Ou ela tinha caras de mulher do campo ou galinha sem capoeira?

Pois nessas alturas, ouvi tanta, tanta, tanta vez a cantiga "uma Gaivota voava voava" que se me aparecesse uma gaivota perdida, f...a logo. Queria dizer lixava-a.

Belos tempos, belos tempos....


beijocas

Pascoalita disse...

ahahahah
Lixava-la com "f" grande, não? eheh

Mas é verdade ... também já cansava ...
Por fim já havia quem cantasse assim:

uma gaivota,
voava voava
filha da p***
nunca mais
se calava

Quanto à moça, tinha um aspecto perfeitamente normal, o gajo é que embicou para ali e pronto eheh

Pois eu ainda ouvi algumas vezes essa expressão com a conotação.

Bom fim de semana
jinhos

Anónimo disse...

E como ela(filha da f:..),somos livres, somos livres de VOAR....

Bom fim de semana
pandora_box

Laura disse...

Olá pascoalita, hoje é dia d eires às compras e esperares plo manel que espera por ti..olha se aparece algum engraçadinho com cara de reforma agrária...o manel tem pau lá no carro?

Anónimo disse...

Só lendo os comentários pra entender a história. Cá no Brasil as gírias são outras.
Beijos.