segunda-feira, outubro 26, 2009

Compostagem doméstica

Há já algum tempo que andava a magicar nisto! Possuo um quintal com cerca de 700m2 de terreno de cultivo e alguns canteiros e há que juntar o útil ao agradável. Ao mesmo tempo que o "lixo orgânico" se transforma em matéria fertilizante, o humus, estamos a preservar o ambiente.

É um processo a que as populações começam a aderir, havendo Câmaras que tentam sensibilizar e incentivar as populações para o problema ambiental, distribuindo gratuitamente compostores pelos seus munícipes.
No meu caso, ainda contactei a Câmara de Mafra, mas limitaram-se a indicar-me 2 revendedores da zona. E se quis ir em frente com a ideia, tive de desembolsar 145€ neste exemplar com a capacidade de 300 litros, sem direito a "manual de instruções" em português.



Para saber mais sobre "Compostagem" e tudo o que tenha a ver com ambiente, fica aqui o site da Valorlis, o melhor que encontrei sobre o assunto.

22 comentários:

Teté disse...

Pois acho que fizeste muito bem! Mesmo que a CM de Mafra se esteja nas tintas para o ambiente, tu não estás, tal como ninguém deveria estar... ;)

Jinhos para ti!

mano disse...

esse quintal agora vai produzir hortaliças de fazer inveja não? já plantaste as couves pró natal? Em relação ao ambiente, foi uma boa decisão!

um beijo!

Zé do Cão disse...

e como com certeza as instruções estão em "Chinóca", põe lá o papelinho também que se transformará em fertilizante de categoria igual aos dos "olhos em Bico".
Qualquer dia, teremos fruta internacional. É pá, achei caróte a coisa. Estou a pensar comprar um deposito de 300 litros para aproveitar a água da chuva e ver se crio cabeçudos, para poupar na factura da água, já que a Câmara onde vivo além de cobrar a dita mais cara do País,dá-nos como oferta, tanto calcário que até fica nos dentes. As flores, podem ter mil cores, que há 4ª rega ficam todas brancas. É uma inovação de Setúbal. Já agora também gostava de saber a razão porque o Gáz Natural é mais caro neste Distrito do que nos outros.
Alguém terá resposta? O Zé fica agradecido.

Parisiense disse...

Se não somos nós a tratar do n/cantinho no planeta achas mesmo que esses cajos que estão lá em cima no poleiro e cagam cá para baixo ligam alguma coisa ao chiqueiro?????

Fizeste muito bem, linda.
Parabéns.
Beijokitas

Pascoalita disse...

Olá, Teté :)*

A maioria das câmaras estão-se nas tintas para tudo o que não seja lhes dê lucro.

Por isso acho louvável as iniciativas das que se preocupam a sério com o bem estar geral.

jinhos

Pascoalita disse...

Oi, manito :)*

Claro que espero deixar de comprar terra para as flores e de passar a produzir fertilizante natural para a horta.
Sabes que o meu hortelão nunca se esquece das couves para o Natal; já têm repolho eheheh

jinhos

Pascoalita disse...

Zezito,

Por acaso não estão em "chinoca" mas em espanhol e italiano.

Mas imprimi o manual da "Valorlis" que é um mimo ... explica tudinho em pormenor e ilustração (arranjei mais uma tarefa ao meu hortelão eheheh)

Sim, também achei caro. Tanto que já o tinha namorado 2 vezes no horto e deixava-o lá. Mas depois de uma pesquisa na Internet e em 2 lojas da especialidade, achei que este era o mais robusto e possui as dimensões adequadas ao meu espaço.

Duvido que a tua Câmara seja mais careira que a de Mafra! Além disso, apurei que uma Câmara perto de ti é das que disponibiliza compostores aos muníces.
És tão sortudo que ainda és capaz de ter direito a uma coisa destas sem ter de abrir os cordões à bolsa eheheh

O Gás natural aí também é mais caro? Hummm não tenho dados para comparar, muito menos tenho a resposta, mas sugiro que te mudes para junto do convento e fiques vizinho de D. João V eheheh

jinhos

Pascoalita disse...

Parisiense

Tens razão. Se não formos nós ...

Mas se tiveres tempo, dá uma vista de olhos aos site da VALORLIS e vê como ainda há quem se preocupe.

Aproveito para dizer que lhes pedi informações por e-mail e foram extremamente simpáticos.

jinho

Espaço do João disse...

Querida amiga.
Com um terreno desses não havia necessidade de comprar essa lata. Eu Faço compostagem há longo tempo, mas com minhocas californianas. Abri uma fossa, com tijolos e, mando lá para dentro todos os detritos organicos. Elas encarregam-se de papar tudo, até os guardanapos de papel.As ervas daninhas, a relva depois de aparada etc. Dividi ao meio com uma rede de construção civil e, quando uma parte está cheia, vaso para a outra. As minhocas por sua vez, quando lhes falta a paparoca passam automáticamente para a outra parte. Após estar tudo devorado, retiro o humus e faço passar por uma rede, ficando os resíduos maiores de parte que juntarei á outra.Para que as minhocas não se procriem através dos ovos que ficam no humus, junto-lhe cinza do grelhador e do forno, consoante as plantas a que vou adicionar o humus. Se for uma terra ácida, adiciono uma quantidade de cal apagada e,tenho a solução pronta. Note-se que durante o tempo quente, é necessário regar a compostagem para que as minhocas não morram. Se estiveres interessada em adquirir algumas, é só dizeres para onde queres que te envie. Note-se que as minhocas desenvolvem-se muito rápido. O seu transporte é fácil e, pode ser
enviado pelo correio. Diz-me algo sobre o assunto por e-mail.Vou enviar-te uma foto com todos os pormenores.João

Susana disse...

Uma boa ideia, Pascoalita! Eu também estou a pensar fazer isso, mas quando o Julinho deixar a mania de se enfiar por buracos desconhecidos...não fosse meter-se aí...

Olha a blogagem está muito animada, estou a gostar de ver! Tenho andado um pouco caladita, mas esta semana vais perceber porquê.

Bjs Susana

Bjs

Joana disse...

Olá Pascoalita! Gostei dos comentários que deixaste , a propósito de panelas. Acho muito bem que cuides do ambiente. Se pudesse faziao mesmo!
Bjs

mariabesuga disse...

Pois a minha Câmara também é das que disponibiliza e pôe cá em casa e o nosso já cá está à espera que se arranje o galinheiro porque vai ser colocado precisamente ao lado do dito. Mas vem com contrato e tudo e muitas instruções.

É um sistema a que mais pessoas poderiam aderir mas dá cá uma trabalhêra!!! é muito mais fácil deitar tudo no contentor do lixo e pronto.

A minha junta de freguesia também fornece aos residentes uns baldes com divisórias para papel, plástico e vidro mas são pequenos e então uso-os só para o vidro.

Separo o papel e há aqui na terra um oleão para onde levo o óleo usado que também já guardo separado há bastante tempo.

Pouco que seja de atitude de cada um faz muito. De todo o lixo doméstico há tanta coisa que pode ser separada à partida... e nem dá assim esse trabalho todo. É mesmo só uma questão de nos habituarmos e organizarmos as rotinas de forma diferente no que com estas coisas tem a ver.

Muito bem, Pascoalita! Tenho pena é que tenhas que ter gasto esse dinheiro para teres o compustou.

Beijinho beijinho

Helena Teixeira disse...

Pois,neste País,fala-se muito de preservar o Ambiente e o Planeta e quase ninguém faz algo de concreto,daí nem se falar muito sobre compostagem.Acho que fizeste muito bem Pascoalita em comprar e também em divulgar essa ideia.No meu jardim,não tenho cultivo,mas hei-de averiguar como a CM de Viseu se comporta em relação a isso.Sei que para os óleos,existe só um especie de ecoponto num só ponto da cidade.Devia haver mais.E quanto ao que fala o Zé do Cão para poupar água,também vou ponderar bem.É que eu considero Viseu,a cidade mais cara em termos de factura da água...

Jocas gordas
Lena

P.S.:Ai da menina se se esquecer de participar na Blogagem de Novembro.Se não o fizer,não vou aí comprar hortaliça natural criada com estrume composto :p

Pascoalita disse...

Amigo João,

Muito obrigada pela oferta. Apesar de conhecer a importância das minhocas nessa função, não me ocorreu recorrer a elas, nem sabia onde as procurar, mas por outro lado também não estou a ver o meu "hortelão" a dar-se a tanto trabalho.

Vou responder-te explicando melhor por e-mail.

Jinhos

Pascoalita disse...

Susana,

Como deixámos de ter galináceos, dava-me pena deitar no contentor quilos e quilos de aparas de legumes e restos de hortaliça, quando posso aproveitar isso para fazer "adubo" para a horta e flores.

Sim, a Aldeia está muito animada ... afora por isso, está na hora de começar a escrever o próximo texto.

Jinhos

Pascoalita disse...

Joana,

Também gostei de conhecer o teu cantinho. Voltarei em breve, promessa de Pascoalita :)

jinhos

Pascoalita disse...

mariabesuga,

Pois o meu também ficou colocado exactamente ao lado do antigo galinheiro (actualmente desactivado) a cerca de 20 metros da casa principal.

Ainda há poucas Câmaras a faze-lo e eu por defeito, sou muito apressada, ou os outros são demasiado lentos ... nunca usufruo de benesses eheh

- Bem me lembro de quando os meus filhos eram pequenos e corri a comprar as vacinas da hepatite (um dinheirão!) pouco tempo depois, os colegas levaram-na gratuitamente na escola;

- Mal a minha Câmara criou condições, comprei logo um recipiente triplo e comecei a separar os lixos. Poucas semanas depois, soube que a minha Junta de Freguesia os distribuía a custo zero eheheh
Provavelmente vai acontecer o mesmo com os contentores. Calhar acordo cedo demais eheheh

jinhos

Pascoalita disse...

Lena,

Por cá ainda se faz muito pouco nesse campo. Na minha zona não há oleão e nem sei se há pilhão.

Quanto ao preços dos serviços, eu sempre pensei que a minha Câmara era a mais cara. Comparada com Lisboa, onde vivi muitos anos e ainda tenho casa, não há comparação possível. Até o simples contrato e o pedido de contador chega a custar aqui o triplo!

Claro que não estou esquecida da Blogagem, mas nem sei o que escrever ... ando sem inspiração :(

jinhos

Helena Teixeira disse...

Olá Pascoalita!
Obrigado pelo texto :)
Já nasceste inspirada,rapariga!
Ah,li na Aldeia que tavas de choco,as melhoras rápidas!!!

Jocas gordas
Lena

MissEsfinge disse...

Olá!

Muito bem! A Pascoalita cuidando da horta e do ambiente ...

Milu disse...

Olá Pascoalita!

Já tinha lido algumas coisas sobre a compostagem, mas ainda não tinha visto um compustor! Olha, tem bom aspecto! E parece ser muito funcional! Eu cá não tenho quintal, mas gostava. Em tempos tive mas nunca lhe soube dar o valor, actualmente penso que me fazia bem, de vez em quando, andar entretida com a terra. Conforme vamos evoluindo na idade o gosto apura e buscamos mais aquilo que tem sentido, como seja, ver brotar vida da terra. Tal como essas couvinhas que mal podem esperar pelo Natal!
Um beijinho.

margarida disse...

A Valorlis fornece esses decompostores, a minha mãe escreveu um mail, pediu um e ofereceram-lho. Já foi há um ano, não sei se ainda os dão.
Todos os dias lá pomos o lixo orgânico :)