terça-feira, março 03, 2009

O mistério das pétalas invertidas

Já lá vão muitos anos ... cerca de 25!

Sempre tive uma certa vocação para praticar marotices e geralmente eram bem aceites, dado que me limitava a brincadeiras sem prejuízo para ninguém. Mas houve pelo menos uma vez em que me excedi e hoje lastimo que só tarde demais me tenha apercebido.

No departamento onde sempre trabalhei, havia um gabinete onde na época (1978) trabalhavam apenas 2 técnicas superiores. Uma bióloga, desempenhando funções de chefia e a outra preparadora técnica. Eram amigas desde o tempo da faculdade e davam-se muito bem, aliás ao contrário de hoje, reinava um ambiente saudável em todo o departamento.

Trabalhando eu no Sector administrativo, era frequente deslocar-me aos vários gabinetes para tratar de assuntos de trabalho, encontrando-os por vezes vazios, facto que neste era sistemático, o que me irritava solenemente.

À entrada do gabinete havia uma estante e numa das prateleiras, entre frascos e molduras, destacava-se um solitário contendo uma bonita rosa de pétalas em seda num tom amarelo dourado, pertença da chefe de divisão.

Sempre que abria a porta e não via ninguém, sentia um diabinho sopravar-me ao ouvido e num ímpeto incontrolável as sedosas pétalas da flor eram viradas ao contrário (invertidas), conferindo-lhe um aspecto de "rosa murcha". Dava meia meia volta e regressava ao meu lugar, voltando mais tarde.

Cheguei a repetir o gesto várias vezes ao dia, durante meses a fio. Lembro-me que estranhava que ela rapidamente recuperasse a sua forma normal, mas nunca me apercebi de nenhum comentário, nem fui questionada sobre o assunto, pelo que não perdia tempo a pensar no caso. Aquilo acabou por se tornar quase instintivo, maquinal ... abre porta, ninguém na sala, inverte pétalas, fecha porta, regressa ao pt, assunto esquecido eheheh

Alguns anos depois a Drª Fátima adoeceu gravemente e em menos de um ano faleceu, causando grande consternação a todos nós, pois era uma colega muito divertida e de quem facilmente se gostava.

Foi num momento em que a recordávamos na sala de chá que partilhávamos, que soube que durante todo aquele tempo, a Chefe acusara a colega e amiga de lhe fazer aquela crueldade à rosa, chegando mesmo a ficar de "candeias às avessas" durante dias, com a chefe convencida de que só podia ser ela uma vez que mais ninguém ali trabalhava e a acusada, negando sentida.

Confesso que me senti culpada! Não achei muita graça que a minha colega Alex tivesse tido conhecimento das consecutivas zangas e nunca tivesse comentado o facto comigo, já que sempre suspeitou que era eu a autora da brincadeira.

Enfim, como já era um pouco tarde para me redimir junto da injustamente acusada, achei que de nada serviria denunciar-me confessando o "crime à dona da rosa.

Mas ainda hoje, quando me lembro, sinto um peso na consciência e aponto-me o dedo:

- Pascoalita, estás em pecado mortal!!! Reza já um Pai Nosso pela alma da Drª Fátima.

23 comentários:

Diabinha Cusca disse...

Mas tu és muito descarada!

Então a pecadora és tu e rezas pela alma da vítima?

Vai lá, vai ...

E já agora não te desculpes com um diabinho que eu juro que nessa história estou completamente inocente!!!

Roderick disse...

Incrivel. Há coisas!!!!

Parisiense disse...

O que lá vai....lá vai......
Mas é verdade que as vezes fazemos coisas que na altura parecem-nos divertidas ou apenas descarregamos o n/descontentamento e mais tarde fica-nos o peso na consciência....ahahahhaha

Isso prova que temos bons príncipios, só isso.

Olha reza lá um pai nosso e já.....
Beijokitas

Anónimo disse...

E um pai nosso e avé maria,é suficiente??
Olhamesta!!!

Ou um rosário(3 terços),ou no minimo um tercinho de joelhos,,,

um abraço:pandora_box

Laura disse...

Ahhh de certeza que a senhora ainda se ri a bom rir, por ter pensado na outra e so agora soube que havia outra marota, ahhhhhhh...jinhos.

Pascoalita disse...

Olha quem fala

Sei lá se não eras tu ...
Já não ponho as minhas mão no lume por ninguém eheheh


Olá Roderick

Pois é ...

Afinal todos nós pelo menos uma vez já fizemos alguma marosca eheheh

Pascoalita disse...

Parisiense,

Claro! O que lá vai, lá vai eheheh
Também não penses que fico muito ligada nisso. Só um pouquinho de vez em quando e até serve para lembrar a minha ex-colega.

Pascoalita disse...

Pandora

Puxa! Um Rosário? Também não fazes a coisa por menos ...

Xiiii mas de joelhos nem pensar.

É que se se ajoelhar, tenho mesmo de rezar eheheheh

Pascoalita disse...

"senhora ainda se ri a bom rir, por ter pensado na outra e só agora soube que havia outra marota"

Soube agora uma ova! Já se aposentou há 4 anos, não integra o grupo de "cotas" dos nossos almoços mensais e além disso mora agora a cerca 250km de lisboa eheheh

Quem lhe vai contar? Tu? eheheheh

Pascoalita disse...

Ah! Já a nina Fátima lá em cima é capaz de rir a bom rir eheheheheh

Zé do Cão disse...

E então é que sou fresco.

Safa... Sou um santo ao pé de t.

Deus me guarde, de tamanha crueldade.


Biquinhos

girassol disse...

Pois, Pascoalita, há alturas da vida em que achamos um piadão a certas brincadeiras e nem pensamos nisso praticadas que sejam as ditas. Falamos nelas nos encontros com amigos dessas épocas e de repente apercebemo-nos de que algumas não foram assim tão inocentes em termos de resultado final. Mas olha, não penses muito nisso que também já não vale a pena. E sempre te digo que se fores conseguindo praticar algumas ao longo do teu percurso de vida, então tens garantido lugar no céu. E nem precisas de redenção. Deus, seja ele qual for, conforme aquilo em que se acradita, deve querer-nos bem dispostos e não pessoas secas e amargas. Digo eu que vivo acreditando nisso. A vida já por si é tão complicada que é preciso sabermos dar-lhe um bocadinho de cor. Sem prejudicar os outros, é claro. Não me parece que dessa tua maldadezinha tivesse vindo tanto mal assim ao mundo. E é como dizes, a tal senhora deve rir-se agora lá onde está ao tomar conhecimento da verdade das coisas.

Abraço
Belmira

L.S. Alves disse...

Que menina marota tu nao deves ter sido. Quem sabe agora já criou juízo. Um abraço moça.

Pascoalita disse...

Isso mesmo, nina Girassol :)*

A vida sem um pouco de colorido não teria piada e eu sempre tive jeito para papel de palhaça e fazer rir quem me rodeava. Ainda hoje acontece um pouco.

Só tenho pena que a minha colega Fátima não tivesse sabido quem era a autora da marosca, pois não tenho dúvida que até entraria na brincadeira.

jinhos

Pascoalita disse...

Nino Alves,

Marotices da juventude que de vez em quando ainda tendem a despertar eheheheh

Jinho a ti

Laura disse...

Xi, que a nossa pandorinha na deixa a coisa por menos! o rosário completo mais'lo resto, xi, que nina beata ela deve ser, ou tem padres na familia!...jinhos.

Zé do Cão disse...

Pascoalita

Petalas invertidas? Eram bichas?

biquinhos

Laura disse...

ó Ze´zito deveima ser as pétalas enroladas para fora, ou seja a nina apscoalita manuseava as pétalas sempre que lá ia, e como sempre, os bandidos nunca são apanhados, a não ser que confessem o crime, quem ia desconfiar dessa nina tão angelical?...

Pascoalita disse...

Angelica não é laurita? eheheheheh

Já agora, fica sabendo que o termo "invertido" tem uma conotação adjacente à que conheces, daí o comentário do Zé.

Agora pergunto: Quem é aqui a "angélica", hen??? ahahahah

Anónimo disse...

Laurinha,querida..

Padres não tenho,nem aproximação...

Agora......

Aqui esta "praça" entregou-se a Cristo,devota fervorosa das rezas em sacrificio,portanto de joelhos

Angélia Maria pascoalita,até que te fica como uma luva,,,,

beijos:pandora_box

girassol disse...

Um poema pelo dia de hoje. Um dia, mais nada...
Fica o poema...

"Mulher

Universo em que a vida se constroi
no cheiro de todas as flores
no calor de todos os veroes
ao sol, em toda a sua plenitude.
Mulher
abraço, consolo, vigor,
vida, sentidos, mae, mulher...
Mulheres
...e sao a dor e o choro
que transformam na força vida que sao
e dao..."

Toda a Felicidade em todos os dias em que construímos a existência.

Beijinho
Girassol

mary90 disse...

Olá Pascoalita.
Então a menina andou a fazer maldades?
Eu já fui muito bricalhona, mas um dia ia matando de susto uma amiga com uma cobra de borracha que pus no chão quando ela o estava a lavar, ela tinha horror a cobras e sofria do coração.
Mas agora que lido com gente cinzenta todos os dias perdi a vontade de brincar.
Então a menina anda a festejar o nosso dia?
Para mim o dia da mulher é todos os dias, gosto muito de ser mulher e, continuo a achar que algumas mulheres são umas "guerreiras" da vida.
Eu comecei a festejar ontem estava numa festa de aniversário passou a meia-noite e festejamos o nosso dia com muita dança africana.
Hoje a "fada" está a descançar o esqueleto.:)
Boa semana.
Beijocas.

Espaço do João disse...

Afinal a Cusca tem a quem saia.
Eu por ex. nunca fiz maldades a ninguém. Imagina que sempre que saía de serviço, tinha por hábito tomar um duche e esquecia-me sempre de pegar no champô e guardá-lo no meu cacifo. Claro quando lá voltava, estava só o lugar.Um dia resolvi pegar dois frascos do mesmo conteudo, só que um estava cheio de verniz para secagem de motores eléctricos e o outro com o verdadeiro producto. Cuidados e caldos de galinha nunca fizeram mal . Peguei no verdadeiro e, levei comigo deixando o outro por esquecimento. Passados 20 minutos voltei aos balneários e qual não foi o meu espanto havia um indivíduo que lá tinha entrado logo após a minha saída e ainda estava debaixo do chuveiro. Esperei mais um pouco para ver se o colega saía mas, nada. No outro dia qual não foi o meu espanto vim encontrar o dito cujo com o cabelo rapadinho á navalha , parecia um melão reluzente. Acontece que estáva-mos em pleno inverno. Daí para cá ninguém mais se atreveu a usar champô daquela marca.

Mudando de assunto:- Como hoje foi o dia internacional das mulheres recebe a minha solidariedade. um abraço e um beijo João.