terça-feira, abril 01, 2008

A propósito de "pequenos delitos"

Introdução:

O recente episódio de "indisciplina e desrespeito" à professora da Escola Carolina Michaelis e as afirmações do PGR, trouxeram-me à memória uma cena que se passou com Francisca, a miúda de que já vos falei algumas vezes e que narrarei a seguir:


"O Procurador-Geral da República (PGR), Pinto Monteiro, diz que é necessário reforçar a autoridade dos professores.
Pinto Monteiro alertou para o facto de, quando se ignoram delitos menores ou de menores, se estar a potenciar o agravamento do tipo de criminalidade, ou seja, "pequenos gangues" que nascem nas escolas e se transformam, depois, em "gangues de bairro, armados e perigosos."

A Menina que queria usar cuecas

Francisca, nascida numa família de poucos recursos económicos numa aldeia beirã, morava com seus pais e 5 irmãos ao cima da aldeia e até completar 6 anos de idade, à excepção dos irmãos, pouco convívio mantinha com outras crianças.

Talvez por isso, só nessa altura reparou que ao contrário de si, as outras meninas usavam uma peça de vestuário sob os vestidos que por maldosamente exibiam, com o propósito de escarnecer de Francisca.


Um dia, ao passar junto dum estendal de roupa, Francisca não pensou duas vezes ... deitou mão às primeiras cuecas a que conseguiu chegar e vestiu-as entusiasmada sem sequer se preocupar se seriam o tamanho certo!!!

Algum tempo depois, brincava ela muito divertida com outras crianças, enquanto sua mãe conversava perto com uma vizinha, quando esta reparou num gesto estranho e algo suspeito ... distraída, Francisca levava consecutivamente a mãozita à cintura, tentando manter no lugar algo que teimava em cair ... como já adivinharam, o objecto do seu roubo teria no mínimo 4 ou 5 números acima do seu tamanho eheheheh

Escusado será dizer que nesse dia f
oi "dia santo"! Depois de ter sido obrigada a confessar o delito, levou uma valente sova e passou pela vergonha de ir pessoalmente devolvê-las e pedir desculpa à dona!

Moral da história: O PGR tem razão ... "É de pequenino que se torce o pepino"!!!

O lado positivo:
Apesar do acto reprovável, Francisca acabou por obter 2 ganhos:

- 1 - Aprendeu a distinguir o bem do mal;
- 2 - A partir desse dia, ganhou o direito a usar cuecas!!! ( há males que vêm por ehe
heheh)

26 comentários:

Laura disse...

ahhh com a pressa de ter as ditas na mão, nem sequer viste se era o teu tamanho ehhhhh, o que me ri, aliás venho do rafeirito e ja nem posos mais com o riso, chego aqui e continuo, apesar de já ter cá vindo, quis só deixar mais um miminho e pimba, valeu a pena...
ahh achas que a mãe da aluna a mandou pedir desculpas à stora? ehhhh se pudesse ia-lhe às trombas, agora é fio pedir desculpas e fazer feriado em casa por tão pouca coisa, mas tu..levaste-as bem, tadinha de ti...

Pascoalita disse...

eheheheheh
laurita, isto é que foi pntaria! estava aqui a preparar isto e até era para só publicar amanhã de manhã ... fazia apenas teste.

Esta Francisca tem casa história do arco da velha ahahahah

Cusquinha disse...

Bem ...

Espero que não seja mais uma partida do dia 1 de Abril!

A estória parece verídica e tenho cá um palpite que conheço a protagonista ihihihihihihih

Mexicano Tarado disse...

Mas não havia no estendal umas calcinhas mais pequenas? eheheheh

MissEsfinge disse...

Tadita da miúda ... imagino a surra que levou! Mas serviu-lhe de emenda e valeu o sacrifício, já que passou a usar calcinhas eheheheheh

Betynha disse...

Eu cá tinha calcinhas de todas as cores e às flores, quadradinhos, bonicos, etc.

Se te conhecesse nessa altura até te podia ter dispensado algumas eheheheh

Mexicano Tarado disse...

Vejam só como os tempos mudam ...

Hoje é ao contrário, essa peça de vestuário tornou-se um obstáculo que as miúdas fazem tudo para despir eheheheheh

Gatinho frenético disse...

Essa história da nina Xica até é bem engraçada :)

Acho que merece uma musica eheheh

Laura disse...

Ó pariga, durante o dia so me ria a lembrar da sova que deves ter levado e tu até tinhas razão...mas coitada da tua mãe..roubar na se faz e assim...pimba..tadinha...

Pascoalita disse...

eheheheh mas foi mesmo assim, laurita! Oarece que inda estou a ver a miúda, envergonhada, pelas ruas da aldeia de cuecas na mão, a caminho da dona do estendal eheheh

A minha mãe recorria mtas vezes a passagens da bíblia para incutir em nós o sentido do bem e do mal e uma delas era a seguinte:

- Um ladrão ia ser enforcado por roubo e a sua mãe chorava amargurada a seus pés.
Ele virou-se para ela e gritou:

- A única responsável por isto és tu minha mãe!
- Se no dia em que eu apareci em casa com o primeiro carro de linhas que roubei para ti, em vez de o aceitar me tivesses castigado, não estaria hoje agora aqui.

(Ensinamentos duma simples mulher de aldeia ... coisas que não se aprendem nas faculdades)

Parisiense disse...

hihihihihih...isto fez-me lembrar alguem que anda sempre aos tombos a contar as pedras da calçada e de saia pequenina.......agora imagina se fosse de verão e ela não tivesse umas cuequinhas????????ahahahahahahah
Pequenos delitos que não tem mal nenhum.....mas que precisam de ser reprendidos.....mas pascoalita falta de respeito é que eu não aceito seja a quem fôr, tenh 2 anos ou 80 anos.
Beijokitas

Pascoalita disse...

eheheh
A tal Francisca era levadadita da breca! Na quinta dos avós onde moravam não havia laranjas e junto à escola havia um quintal cheio de tangerinas ... de vez em qdo lá se juntava aos outros miúdos, escalavam o altíssimo muro e gamavam-nas.
Felizmente a mãe dela nunca desconfiou eheheheheh

Mexicano Tarado disse...

xiiii uma nina sempre aos tombos ... de mini-saia e sem cuequinhas? devia ser cá um espectáculo eheheheheh

Gatinho frenético disse...

Inda agora aqui cheguei ...
sou um nino delinquente
confesso que já roubei
o coração de muita gente !!!

Mexicano Tarado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gatinho frenético disse...

Plos vistos a pascoalita
andava de cu ao léu
mas ela é tão catita
que decerto vai pró ceu!

Adrianna disse...

Xiiii
O que eu tenho perdido eheheh

Não sei como vocês fazem para esticar o tempo ... eu bem me esforço mas ...

Gostei a estória. Sabes mais destas, pascoalita? Conta!!! eheheh

Laura disse...

nina adry esta historia e verdadeira e foi a apscoalita que rapou as cuecas, tadinha ehhhhhh...mas é assim que se aprende, apanhou e ainda teve de devolver, tadinha d anina..beijinhos pás duas.

Pascoalita disse...

eheheheh tenho mais, sim! A próxima já está na forja e preparem-se pq a risota vai ser mais que muita e pode haver consequências eheheheh

carvoeirita disse...

quando eu era miuda eramos muito pobres, e o meu avô ia-me levar a escola numa carroça com um burro, o meu avô vendia carvão (daí o nome carvoeirita) e quando eu chegava a escola as vezes ia com manchas de carvão na roupa ou nas mãos...quantas vezes os professores me mandavam para casa, porque não queriam meninas sujas, eu dizia, não é sujo é carvão.
Eram tempos também demasiado repressivos, acho que temos que encontrar um meio termo.
beijinhos!!!!!

Menina do Rio disse...

E sempre digo que educação começa em casa. Esta cena do celular na escola correu mundo e é por ai que se vê a deficiencia na educação. Pior. Todo mundo sabe que não é permitido o uso de aparelhos de telefone em sala de aula, mas parece que isso é visto como um desafio. Afinal, tudo que não é permitido, torna-se mais atrativo. Que sirva de lição.
Quanto à Francisca, apesar de usar um método errado (roubar) ela soube valer seus direitos (de usar uma calcinha), rs...

Beijinhos

Laura disse...

Olh a anossa nina carvoeirita, carvão não era sujo...toma lá para eles aprenderem..ai as pessoas maldosas...será que as filahs da slavadeiras iam branquinhas? duvido..ora conta mais conta mais mana...

Laura disse...

Ahhh o Puerto ganhou e bibó porto... beijo. nem sei se ja foste passear, se vais mais tarde..arre, nem apareces no msn agora... Jinhos.

L.S. Alves disse...

No Brasil se diz que:
É de pequeno que se torce o pepino.
Um abraço.

marius70 disse...

Pascoalita

A minha avó tinha a idade que tinha e não sabia o que era isso de cuecas.

:))))))))))))))))))))))))))

Só de me lembrar de uma cena que vi quando era catraio, e eu parvo ali a olhar, ainda hoje com esta idade me rio disso, bendita avó que tive.

Pascoalita disse...

Amigo mário,

Não imagino o que terás visto, mas só pelo facto de ainda hoje te fazer rir, abençoada visão essa ahahahah

Às tantas recordas o que tb eu vi mtas vezes e que tb ainda hoje me rio e até sinto algum pudor em contar.

Um beijo