quinta-feira, julho 19, 2007

Arte Sacra



Após o casório, e enquanto os noivos procediam à habitual reunião de sacristia, alguns dos convidados foram-se agrupando no exterior, outros colocaram-se em pontos estratégicos para à saída dos noivos, os brindarem com a tradicional "chuva de arroz".

Eu aproveitei para ficar mais alguns minutos na igreja da aldeia, observando o pormenor do talhe, o dourado, os tons vivos, a decoração e as antiquíssimas imagens. Gostei sobretudo do púlpito!



Se tivesse levado máquina, valia a pena reproduzir aqui algumas das imagens.

As flores também eram amorosas.

17 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Chuva de arroz? Eu devo ter apanhado granizo de arroz, porque pelo menos com um saco inteiro levei!

Laura disse...

Ehhh e se valeu a pena bora pa cá pa cima de mim com um kilo de arroz!...

Pascoalita disse...

Então foi o "arroz" que te deixou nese estado, rafeiro?
e eu a pensar que se devia ao uso exagerado do "alçar da perna" eheheh

Se valeu a pena, Laura? hummm tanto eu como tu, já contamos com uns bons anos de "chuva de arroz" eheheh

Pascoalita disse...

As imagens existente naquela antiga igreja são antiquíssimas. Levei o tempo todo a vasculhar, na minha memória os ensinamentos de infância no sentido de identicar a figura representada numa tela oval no tecto.
No fim, tive de questionar a minha sobrinha ... tratava-se de Sta Catarina! A cabeça decapitada a seus pés é impressionante.

Pascoalita disse...

Tive de recorrer a pesquisa para saber que Sta Catarina era sábia e devota ao cristianismo. Foi decapitada por se recusar abandonar a fé e desposar um certo "Imperador Maximino Daia"

Diabinha cusca disse...

Aposto que Santa Catarina não teria recusado, se em vez desse maximino, fosse um certo Imperador que eu cá sei ihihihihih

Incógnita disse...

Aquele Rafeiro sempre a queixar-se, sempre a queixar-se...

E arte sacra é de facto impressionante.

Bom fim-de-semana

Diabinha cusca disse...

Chamas a isso fotos?
Mas afinal o casório foi antes ou depois dos "comes e bebes"?
Cá pra mim qdo disparaste, já tavas com as "vistas turvas" eheheheh

Laura disse...

Esta cusca...claro que nem a santa catarina nem nenhuma muié que tivesse olhos na cara e em todo o lado... Este imperador jamais seria capaz de fazer o que o tal fez, devia ser um corta cabeças e mais alguma coisa..e o nosso, coitado nem moscas deve matar, a não ser moscas cuscas como a ti...

Laura disse...

Ó incónita que é isso? Sempre a queixar-se de quê? E que nãos e queixa se levar com uma saca de arroz? Tá-me cá a parecer que o conheces... e sabes que mais, com queixas ou sem elas, eu adoro ele... e amanhã vou ver a carinha dele e o ladrar dele vou entender... vou afzer festinhas como faço ao shakita e dizer-lhe também como digo ao shaka, eu amo a ti rapaiz...

IBERSHOW disse...

Mas faltou lá o FUNÇÃO PÚBLIKA para animar o casório.

Laura disse...

Ó mana quem é esse? Deve ser o dono da banda, anda a entrar e a tocar em todos os blogues, bom, deve querer musica e porque não?

Ahlka disse...

Arroz?.. Na minha terra, são pétalas de rosas...Bem mais agradável! :)

Grilinha disse...

Que bela passeata e pelos vistoso casório tb correu bem.

E eu ainda estou á espera dos bolos com chantily que me prometes por sms.

Ai que tentação.

beijinhos


PS: Gosto deste novo visual do blog.

Laura disse...

Post novo a igreja cheira a bafio e mofo..postagem nova cheia de coisas que a pascoalita tem em casa, é engraçado irmos vendo os teus bibelots as panelas a cozinha,sei lá, ora põe a cozinha que é fofa...

Pascoalita disse...

Laurinha,
é o "nosso amigo" do costume que hoje veio disfarçado eheheh

Ahlkinha,
Arroz é tradição antiga como julgo que sabes. Pétalas de rosas faziam parte da decoração das mesas que segundo percebi foi da responsabilidade do noivo. As mesas estavam lindas! a minha tinha pétalas daquele tom vermelho aveludado, sabes? mas havia outras com pétalas brancas e outros tons ... bem lindo (não me lembrei de tirar uma foto às taças decorativas)
Qdo me casar, quero uma festa assim eheheheheh

Olá, Grilinha :)
Que bom ver-te aqui. Só não te trouxe os doces pq estavam todos estragados, não te disse? eheheh
1 beijinho

Anónimo disse...

menos que um comentário, faço-te ima pergunta.
Em qual igreja está aquele belo púlpito que tanto gostastes? Em qual vila ou cidade?
É que eu cá estudo púlpitos portugueses e brasileiros e esse não conhecia.Agradeço de antemão a tua resposta.
Meu endereço eletronico é:
rgmachado@unb.br